Recordando a Cristina Lobo (1955-2012)

A Sociologia da Família e a sociedade portuguesa ficou ontem (15 de Maio) mais pobre com o desaparecimento de Cristina Lobo, cuja vida e obra foi ceifada precocemente. Doutorada em Sociologia, professora no ISCTE/IUL, investigadora no CIES e membro da Comissão Coordenadora do OFAP, foi pioneira no estudo da recomposição familiar na sociedade portuguesa.

É já com muita saudade que aqui lhe prestamos homenagem lembrando o seu legado.

 

http://videos.sapo.pt/T3O1jLPsNjmW6z68k1mZ

Lobo, C. (2009). Parentalidade social, fratrias e relações intergeracionais nas recomposições familiares. Sociologia, Problemas e Práticas, 59, 45-74.

Lobo, C. (2009). Recomposições familiares: Dinâmicas de um Processo de Transição. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian e Fundação para a Ciência e a Tecnologia.

Lobo, C., & Conceição, C. P. (2003). O recasamento em Portugal. Sociologia, Problemas e Práticas, 42, 141-159.

Lobo, C. & Wall, Karin. 1999. "Famílias monoparentais em Portugal", Revista Análise Social XXXIV, 150.

Lobo, C. (1996). Padrastos no quotidiano: estratégias de construção social do papel de padrasto. Sociologia, Problemas e Práticas, 19, 67-82.

Lobo, C. (1995). Do (re)casamento às estratégias de recomposição familiar. Sociologia Problemas e Práticas, 18, 69-95.

Lobo, C. (1994). Processos de recomposição familiar: estratégias e trajectórias nas famílias recompostas. Tese de Mestrado. ISCTE, Lisboa.